LinkedIn: Não seja só um a mais nos 300 milhões

dano-moral-presumido-atraso-devoos
Dano moral presumido
1 de fevereiro de 2017
marketing jurídico
Marketing jurídico: Como fazer?
2 de fevereiro de 2017
linkedin-advogados-direito-juridico

Não basta ter uma conta ativa na rede social LinkedIn, é preciso movimentá-la e mantê-la atualizada.

O LinkedIn é a maior dentre as redes sociais para divulgação profissional.  Convincentemente, após construir seu currículo, a aquisição de um espaço no site para a prática da auto divulgação é primordial.  Para não desnortear-se entre 300 milhões de usuários dessa rede, alguns aspectos devem ser considerados na construção da identidade social do seu perfil.  Observe os pontos que citaremos aqui:

1 – Tenha sempre o que dizer

Nunca deixe estagnar seu perfil no LinkedIn.  Por se tratar de uma rede estritamente criada para o contato profissional, perfis ativos estão sempre em observância, seja por concorrentes ou por possíveis interessados em oferecer uma sociedade.  Portanto a sensação de constante atualização no seu perfil oferecerá ao visitante a segurança de que o profissional em questão é uma pessoa moderna.

2 – Tutele a sua imagem

Seu perfil em outras redes sociais é ativo?  Eventualmente a sua foto está mais descontraída ou informal.  A sua foto de perfil do Linkedin não exige a mesma circunspeção da foto da carteira de identidade, mas não reserva espaço também para a descontração contida em uma foto de Facebook.  Sorria e passe a confiança necessária à pessoa que lhe contempla.  A imagem de capa parte do mesmo princípio.  É um campo de 1400×425 pixels que pode ser usado os mais diversos fins, desde complementar a sua foto de perfil até passar mais informações sobre seu trabalho.  Contato que a mesma auxilie na exposição da sua índole, seu uso é livre.

3 – Da imagem para os dois mil caracteres

A imagem será apreciada quando seu perfil for encontrado, mas para isso, alguns artifícios são necessários.  Apresentar-se, citar seus interesses profissionais, definir sua área de atuação, mostrar o que lhe cativa a exercer tal área e incluir seus contatos é um início considerável.  O imprescindível na confecção do perfil é a escolha das palavras, principalmente para a definição da sua profissão:

Primeira forma: Advogado criminalista

Segunda forma: Advogado destinado a solucionar problemas da área criminal

Na primeira forma você usou 21 caracteres, na segunda forma foram 58. Esses 37 caracteres a mais poderiam ser destinados à outra parte da descrição.  Ademais, se houver uma demanda por “advogado criminalista” no LinkedIn, seu perfil aparecerá próximo ao topo com o uso da primeira forma.  Com a segunda forma, sua vivacidade pode ser descartada pelo site.  Lembre-se do uso de palavras-chaves, elas são válidas até mesmo na personalização da URL do seu perfil.  Criar uma URL que tenha o nome da sua firma, seu próprio nome ou até mesmo uma mensagem deixa seu endereço mais convidativo.

4 – Polindo a sua experiência

Na parte da experiência, despender-se de detalhes das funções já exercidas em ambientes de trabalho antigos ou atuais oferece mais informações a quem está analisando o perfil.  Cada detalhe descrito pode ser o diferencial na hora da sua contratação.  Quando exequível, solicite recomendações ao seu perfil.  Na ausência de respostas, escreva recomendações em outros perfis, seus colegas de trabalho ficarão sensibilizados e, na maioria dos casos, escreverão de volta.  Liste também habilidades condizentes com o seu perfil profissional, características que seus colegas de trabalho lhe atribuem.

5 – Não minta

Apenas aloque dentro do seu perfil o que for verídico em relação ao seu aspecto profissional.  Em uma oportunidade futura, o que está descrito ali será testado na prática, o que causará constrangimento se for irreal.  Ainda que não seja testado, enfatizar afirmações que não fazem parte do seu perfil pode lhe degradar profissionalmente e socialmente.

Advogado, ainda não tem o perfil no LinkedIn, crie agora mesmo o seu clicando aqui.

1 Comentário

  1. Marketing jurídico: Como fazer e principais ferramentas grátis disse:

    […] O Linkedin não recebe massivamente a mesma quantidade de acessos que o Facebook durante o dia-a-dia, porém, por ser uma rede social direcionada ao profissional, recebe os acessos que podem interessar à sua carreira.  Um perfil no site passa a ter uma magnitude elevada, pois com a descrição do seu lado profissional sendo feita mundialmente, possíveis contratantes podem analisar seus dados e eventualmente lhe chamar para realizar uma entrevista.  Onde já esteve, o que já fez, seu objetivo, todos são pontos suscetíveis a um enfoque. O investimento de tempo na criação desse perfil é importante, pois ele será anexado a outras páginas e a um cartão de visita. Veja aqui nossa matéria sobre o perfil do Linkedin. […]

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: