Advogado, você tem seu escritório, agora precisa do seu software jurídico

CRM: Principais características para uso em escritórios de advocacia
5 de janeiro de 2017
Portal da Transparência
Advogado, saiba mais sobre o Portal da Transparência da OAB/RJ
20 de janeiro de 2017

Se você já é dono do seu próprio escritório, se você está no mercado tem algum tempo, então temos uma dica para você.

Para seu escritório existir, partimos da premissa de que existem despesas (infelizmente o mundo não é feito de honorários).  Para existirem despesas e elas serem sustentadas, é porque seu escritório tem demanda.  Finalmente chegamos ao ponto, se você tem demanda, você precisa de uma organização mínima.  Imagine uma rotina perdida em papeis.  Para se comunicar com um cliente, você precisaria de pelo menos cinco minutos, tempo de procurar o telefone da pessoa e tempo de ligar para ela.  Se você precisa consultar um processo, você precisa ir a uma estante e ver entre diversas pastas, onde está o arquivo de seu interesse.  Se você vai cobrar os honorários, e até para isso é preciso de um cálculo, você precisa buscar notas, fazer anotações, enfim… Frustrante?  E se estiver na hora de usar um software de gestão de escritório?

O recomendável para um advogado, atualmente, é a adoção do uso de um software de gestão, ou melhor, um software jurídico.  Ainda que não use um software, isso é necessário desde que o advogado sai da faculdade, porém com a abertura de um escritório, isso se torna emergencial.  Um número muito denso de clientes exige um método mais funcional que cartões, exige um software de gestão de escritório.  Algo completo que não se limitará apenas a cuidar dos processos.  Sem um desses a capacidade de analisar processos é menor, o que faz existir dentro do escritório um número menor de resoluções de causas e então um número menor no setor financeiro.  Porém o que ele precisa ter a princípio?  O que vai acelerar seus atendimentos e o que pode ser dispensável?  Veja essa lista de tópicos e tenha uma breve orientação da decisão a tomar na contração do software jurídico:

1 – Cadastramento de clientes: Para que o aplicativo capte a alma do escritório, é essencial um cadastramento de clientes.  Eles são a renda do negócio, eles merecem atenção, logo um software de gestão de escritório tem que ter essa função.

2 – Cadastramento de processos: Tendo clientes, temos processos.  Analisando a situação dessa forma, o software de gestão de escritório perfeito tem que ter pelo menos o mínimo, como esse item.  O cadastramento de processos poupa espaço tirando pilhas de papel da estante, pois da mesma forma que um cliente tem um processo, outro pode ter dez processos.  Organizando dessa forma, além de espaço com papeis, o advogado e seu escritório economizam tempo buscando um processo, pois a procura é agilizada.

3 – Atualização automatizada de processos: De nada adianta os processos estarem catalogados no software, sem que exista uma forma de atualizá-los.  Para isso, em outros tempos, o advogado teria que ir aos tribunais para conferir se houve ou não modificação no processo.  Com a gestão do escritório feita pelo software, o profissional precisa apenas apertar um botão de atualizar.  Isso caso o aplicativo tenha, caso não tenha, descarte-o.

4 – Controle financeiro: A receita é algo que paga os custos do escritório, logo, tem que ser calculada pelo advogado para que não haja erros. O que entra e o que sai deve ficar sob total acesso do usuário do software.  Esses mesmos gerenciadores, por vezes, podem conter erros, o que torna o controle manual mais seguro para quem os usa.

5 – Gerador de relatórios: Todas essas informações passadas até aqui, devem ser passadas para o cliente ou para um superior, dessa forma, o software de gestão deve emitir relatórios.

6 – Integração com sites dos tribunais: Para fazer a atualização do processo, é extremamente necessário que haja essa integração.

7 – Agenda: Em meios a tantos processos, tantas seções e tantos compromissos, o advogado deve ter uma agenda no software.  Caso ela se integre com a agenda do Google, ela ganha pontos, pois se torna portátil.  O advogado usaria o celular para ver qual sua próxima pauta na agenda ou para onde ele deveria ir.

8 – Integração com editores de texto: Para gerar relatórios, gerar notas e mover de forma mais hábil o escritório, uma integração com editores de texto seria essencial ao software.  Pois dessa forma, o controle do advogado sob seus dados seria ainda maior.

 

Um software jurídico que contenha essas características consegue gerir com facilidade um espaço de advocacia, pois oferece ao cliente suporte em todas as áreas de um escritório.  Se você, advogado, quiser conhecer algo como esse software, clique aqui e veja o que podemos fazer por você.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: